Teste de embarque por reconhecimento facial com tripulantes em Congonhas

Tecnologia de embarque por meio de biometria, já testada com passageiros, é ampliada para piloto...

Leia mais

Inscrições abertas para evento de tecnologias sustentáveis da América Latina

Público poderá assistir aos debates com grandes nomes nacionais e internacionais sobre Finanças...

Leia mais

O programa de desestatização dos portos ameaçado

O projeto de porto bem estruturado, como fator de desenvolvimento, atrai capital como um campo de ...

Leia Mais

Túnel imerso do Porto de Santos na travessia ao futuro

Por falta de engenharia, a logística do canal do Porto de Santos conflita fluxos urbanos e intern...

Leia Mais

A ótica do direito portuário está presente no WebSummit Porto Sustentável com a participação dos advogados especialistas Benjamin e Beatriz Gallotti, do Escritório Gallotti e Advogados Associados. Pelo fato de portos e terminais serem classificados como atividades modificadoras do meio ambiente, a exigência de licenciamentos e a fiscalização são temas bastante complexos para os investidores do setor. Entre os assuntos abordados no vídeo estão a insegurança jurídica no País e a assimetria concorrencial entre os portos públicos e os Terminais de Uso Privado (TUPs). "A assimetria concorrencial existe, mas foi criada pela própria administração pública. A solução do problema é facilitar a vida dos arrendatários e trazê-los o mais próximo possível do regime que regula os TUPs", opina Benjamin. 


 

Conteúdos Relacionados

* ADPF 139 - Supremo Tribunal Federal
* Currículos dos profissionais do Escritório Gallotti e Advogados Associados
* Inciso XII do Artigo 21 da Constituição Federal de 1988"
* Payback, o que é"
* Resolução 3.274 da Antaq - sobre fiscalização da prestação dos serviços portuários e respectivas infrações administrativas
* Resolução Conama 001 - portos e terminais são atividades modificadoras do meio ambiente


 
Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

Notícias

Vídeo em destaque