• O Ministério Público Federal e a Polícia Federal deflagraram nesta quinta-feira (22) a Operação Círculo Vicioso, segunda fase da Operação Tritão, que apura irregularidades em contratos firmados pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), que administra o Porto de Santos.

  • Ogarito assumiu a direção do Departamento de Outorgas Portuárias da Secretaria Nacional de Portos em janeiro de 2017, indicado pelo ex-ministro e ex-deputado federal - atualmente na prisão -Geddel Vieira Lima (PMDB)

  • Na última semana, foi criado um grupo de trabalho (GT), no âmbito do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, com o objetivo de propor soluções que garantam a eficiência e manutenção da profundidade do canal de acesso, das bacias de evolução e dos berços do Porto de Santos (SP).

  • A privatização das autoridades portuárias caminha em sentido oposto ao modelo de administração de vários dos principais portos do mundo localizados na Ásia e na Europa, com adoção do modelo landlord por meio de empresas de de economia mista nas funções de regulação, fiscalização e planejamento portuário. Para dizer o mínimo e sobre uma realidade corrente, a possibilidade da indústria de multas - que farão parte das receitas de uma Autoridade Portuária privada - preocupa profundamente os operadores e usuários dos portos

  • O projeto da ponte da Ecovias que liga as duas margens do Porto de Santos (SP) vem recebendo críticas sobre os possíveis impactos ocasionados. Entre eles estão os danos à natureza, limitações ao futuro do porto e do aeroporto civil, além da real contribuição à sociedade.

  • A Localfrio se comprometeu a divulgar, a partir do dia 17 último, um laudo parcial sobre o grave acidente ocorrido, em 14 de janeiro último, em seu terminal em Vicente de Carvalho, na margem esquerda do Porto de Santos, quando pegaram fogo mais de 50 contêineres com produtos químicos, entre eles ácido dicloro isocianídrico. A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), autoridade portuária local, também prepara relatório sobre as ações e dificuldades enfrentadas pelas equipes de emergência.

    Leia também
    Portos: explosões e lições nunca aprendidas
    Incêndio na Alemoa: onde não há informação, há boataria

    O presidente da Codesp, José Alex Botelho de Oliva, solicitará à Localfrio informações sobre a causa da ocorrência e implantação de medidas para evitar ocorrências similares. “A empresa deverá encaminhar um plano de ação para efetuar medidas para corrigir as não conformidades ocorridas durante o sinistro, no que tange a mitigação dos impactos ambientais.”

    A apuração das responsabilidades também envolverá instituições dos governos do estado e federal, como o Corpo de Bombeiros, a agência ambiental estadual (Cetesb) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente. O incêndio liberou fumaça que deixou, principalmente, as cidades de Guarujá e Santos em estado de alerta e provocou a ida de centenas de moradores aos hospitais locais com sintomas de intoxicação respiratória. Ainda há a apuração da morte de duas pessoas após o incêndio por complicações respiratórias.

    Já o Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema), ligado ao Ministério Público Estadual, quer

    ...
  • Preocupada com a crescente ameaça de liquidação do Instituto de Seguridade Social Portus depois que algumas administradoras portuárias estatais declinaram do plano de recuperação da entidade, a direção do Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport) encaminhou

  • Hoje o diálogo sobre o projeto da ponte que liga as duas margens do Porto de Santos (SP) se dá em vários âmbitos. O primeiro deles é estadual e envolve a Ecovias e o Governo do Estado – especificamente a agência reguladora de transportes (Artesp) e a Secretaria de Logística e Transporte.

  • As restruturações que vem sendo realizadas, a 45 dias do presidente eleito Jair Messias Bolsonaro tomar posse, passam a impressão de desmonte da empresa para causar problema ao novo governante. Convém destacar que como coordenador do Grupo de Trabalho e assessor especial do MTPA sobre os contratos de dragagem, Luiz Fernando manifestou-se favorável à possibilidade de passar esse serviço à iniciativa privada

  • O Porto de Santos (SP) lançou, recentemente, um programa de capacitação ao seu corpo técnico, em diversas áreas afetas à gestão portuária, em parceria com o portal de logística Portogente. Ao ampliar essa iniciativa aos colaboradores da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), em sintonia com os seus interesses, objetivos e estratégias, vai contemplar todo o seu setor portuário. Sem dúvida, um passo inovador e fundamental para a produtividade do capital.

    Portogente é hoje o maior e mais acessado portal de transportes e logística do Brasil, com alcance internacional, e conta com mais de 83 mil alunos inscritos. Seus cursos ministrados online, por meio de plataforma avançada permite ao aluno acesso aos conteúdos, tirar dúvidas, participar de bate-papos e de fóruns, receber orientação e ser avaliado em quaisquer hora e local. Detalhes que fazem a diferença nos dias de hoje.

    O comércio global e a globalização são determinantes de centenas de variáveis, entre as quais a maneira de fazer comércio. Encolher o tamanho do mundo, aumentando a velocidade ou a capacidade dos navios, é um modo de tornar mais ágil a cadeia de suprimentos. Em suma, reduzir ao mínimo o tempo em que o capital de giro fica atrelado a mercadorias em trânsito.

    Aumento dos navios e consequente demanda de maior velocidade dos portos e terminais resultam em pressão nos custos operacionais e dos investimentos. Ante esse cenário de mudanças, a primeira tarefa da administração é definir quais os resultados esperados do empreendimento a seus cuidados.

    A recem empossada diretoria do Porto de Santos ao profissionalizar a gestão da empresa, ao investir na motivação, satisfação e produtividade das pessoas, demonstra que, lembrando Peter Drucker, o meio de produção é o conhecimento. Ao tratar os custos de mão obra como investimento, a Codesp produz resultados para modificar a sociedade. Exemplo de administração a ser seguido.

  • A obra foi contratada pela Codesp no valor R$ 6.594.118,04 e iniciada em agosto do ano passado. Os serviços demandaram uma logística especial de trabalho, em virtude do elevado tráfego de caminhões na via

  • Presidente do Porto de Santos será o único representante de um porto latinoamericano a debater no 5º encontro internacional sobre a nova rota da seda

  • Foram 386.165 TEUs (medida padrão que equivale a um contêiner de 20 pés), resultado apenas menor que o registrado em agosto de 2018 (387.791 TEUs)

  • Em vez de iniciar dos fins para os meios, o presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Casemiro Tércio, resolveu abrir uma caixa de ferramentas desgastadas pelo tempo e inadequadas para construir um porto para concorrer com os asiáticos. Propõe um modelo de dragagem por resultado, uma ideia de mais de 20 anos e há muito tempo defendida no Portogente

  • Casemiro Tércio é formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e pela Advanced Management Program (AMP) da IESE Business School. Foi presidente do Porto de São Sebastião e ex-diretor do Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo, além de sócio fundador e head de infraestrutura da Garín Investimentos e do Bureau da Engenharia

  • O caso da astronômica dívida superior a R$ 2 bilhões do terminal do Grupo Libra no Porto de Santos - de grave prejuízo à companhia portuária que se arrasta desde as sentenças proferidas em 23 de março de 2004 pela juíza da 4.ª Vara Federal de Santos, Alessandra Aguiar Nuynes Aranha...

  • Realisticamente falando, a iniciativa do presidente do Porto de Santos, Casemiro Tércio Carvalho, de abrir um escritório comercial na China, no segundo semestre deste ano, vai ampliar as oportunidades e fortalecer o posicionamento do Brasil no mercado global. Pois, como afirmou o vice-Presidente Hamilton Mourão: China não é ameaça, e sim parceiro estratégico.

  • A era digital e a Internet promoveram maiores velocidade e capacidade de processamento e de análise desses rastros. Assim, o Portolão, como combate a corrupção, é o primeiro passo eficaz da reforma portuária

  • O procurador do Ministério Público Federal Thiago Lacerda Nobre, Chefe da Procuradoria da República no Estado de São Paulo, inicia uma faxina que há muito se esperava fosse feita no Porto de Santos e deve se estender aos demais portos do Brasil

  • Desgastados com tantos anos de privilégios para poucos e falta de critérios para muitos, o Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Portuários dos Portos do Estado do Rio de Janeiro realizou nesta terça-feira, 3 de abril, um ato público em repúdio ao apadrinhamento político na Companhia Docas local