• As práticas de complaince e de governança corporativa definem como uma grande empresa ou negócio quer ser visto não só pelo mercado ou acionistas, mas também pela própria sociedade.

  • Portogente encaminhou, mais uma vez, questões e, como resposta, recebeu lacônicas informações da Rumo Logística sobre o andamento da cobertura da sua área de operação com granéis em navios no Porto de Santos (SP).

  • Entre outros objetivos, Santa Catarina quer ferrovias do sul do País mais modernas e com expansão para favorecer comércio nacional e exportações

  • Em nota enviada pela assessoria de comunicação, a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) apresenta sua posição com relação ao Editorial do Portogente, de 4 de novembro último.

  • O contrato vigente prevê o encerramento da concessão da malha ferroviária paulista à Rumo Logística em dezembro de 2028. O Ministério da Infraestrutura e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) apresentaram proposta de prorrogar antecipadamente o contrato por mais 30 anos. Em contrapartida, a Rumo se comprometeria a realizar obras de ampliação da capacidade do transporte de cargas e de resolução de conflitos urbanos em cidades paulistas que são cortadas pela ferrovia

  • A Assessoria de Imprensa da Rumo Logística encaminhou à Redação do Portogente nota oficial sobre o texto do Dia a Dia publicado, nesta segunda-feira (16/04). A seguir, transcrevemos o comunicado na íntegra:

  • Maior concessionária ferroviária do País, a Rumo começa em 2018 a transportar fertilizantes entre as duas pontas de seu principal corredor de exportação de grãos: o Terminal do Porto de Santos (SP) e o Terminal Multimodal de Rondonópolis (MT).

  • Um termo aditivo ao contrato com a empresa Rumo Logística e a Secretaria de Portos (SEP) permitirá investimento de R$ 308 milhões por parte da empresa até 2018. Estimativa de crescimento do setor portuário brasileiro é de 103% entre 2015 e 2042. O período leva em conta os processos de concessão e o tempo de renovação dos arrendamentos, que é de 25 anos. A projeção de investimentos é de R$ 51,28 bilhões, entre portos públicos e privados.

    Leia também
    Porto de Natal na rota comercial dos Estados Unidos 
    Arco Norte e o bom futuro logístico

    Por isso, o ministro da Secretaria de Portos (SEP), Helder Barbalho, diz, em alto e bom som: “A palavra crise é proibida no setor.” Ele avalia que a crise econômica está distante dos portos nacionais. Nesse sentido, Barbalho destaca que a SEP vem recebendo, inclusive, muitos investidores estrangeiros interessados no Brasil.

    Barbalho italianosO ministro Helder Barbalho durante apresentação a investidores italianos, sobre o tema Portos, no Ministério do Planejamento. Foto: Ed Ferreira/SEP

  • O prazo de exploração da Malha Paulista pela Rumo termina em 2028 e o contrato assinado prevê uma prorrogação por mais 30 anos. A Rumo, todavia, quer antecipar a renovação para ter tempo de amortizar investimentos necessários no ativo.

  • Uma questão se apresenta ao diretor de Relações com o Mercado e Comunidade (Direm), da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), o advogado Danilo Veras, baseada na Lei 4.717/65