• A capacidade dos trens de carga

    Com relação aos trilhos, existem diversos tipos de forma e de peso. Com relação à forma, o mais usual no Brasil é o perfil Vignole e, quanto ao peso, os trilhos são caracterizados pelo valor em quilogramas de uma barra de um metro de comprimento. Exemplificando: o trilho TR-45 indica que uma barra de 1,00 metro desse trilho deverá pesar aproximadamente 45 quilogramas

  • A locomotiva a vapor - parte 2

    Sílvio dos Santos

    Após os primeiros experimentos ficou comprovado que as rodas da locomotiva patinavam sobre os trilhos, principalmente em rampas ascendentes, as subidas. Apesar do grande esforço das máquinas, estas não conseguiam mover o trem adequadamente

  • Aparelho de mudança de via

    Hoje, falaremos sobre um equipamento importante para a ferrovia o amv: aparelho de mudança de via

  • As capacidades dos vagões ferroviários

    A capacidade do vagão ferroviário depende da resistência de cada eixo que compõe o truque e também da resistência da linha por onde ele transita. Se um vagão, por exemplo, permite 25 toneladas por eixo, o peso total poderá atingir até 100 toneladas, incluindo a tara do vagão e a mercadoria

  • Brasil tem desafio de gerar empregos e melhorar infraestrutura nos portos

    Brasil precisa trabalhar o conceito de porto-indústria para gerar mais empregos nas regiões portuárias e acelerar o desenvolvimento econômico do País; sururu no ambiente interno da Santos Brasil após anúncio de investigação do Ministério Público; Cabedelo inicia reuperação de importante berço em seu cais e outras notas

    horizonte porto

  • Buzinas de trem em área urbana incomodam população

    Barulho, desconforto, péssimas noites de sono e a conseqüente perda na qualidade de vida. Essa série de fatores nada agradáveis é resultado direto do barulho da buzina dos trens que atravessam regiões populosas da cidade de Santos. O modal ferroviário, uma alternativa fundamental para descongestionar os gargalos logísticos do maior porto da América Latina, tem tirado o sono das pessoas que moram próximas à linha férrea, especialmente no trecho da Avenida Francisco Glicério, entre o canal 1 e a Avenida Conselheiro Nébias

  • Corte de verbas para o transporte ferroviário urbano

    Chamamos a atenção para debate que acontece, nesta quarta-feira (4/04), na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado. O tema diz respeito à sociedade: as consequências da redução orçamentária para a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e os sistemas de transporte ferroviário urbano de passageiros.

  • Ferrogrão nos trilhos?

    A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) disponibilizou no seu portal, a partir desta terça-feira (31/10), a lista de documentos para a Audiência Pública nº 014/2017, que colherá subsídios para aprimoramento da minuta de edital e dos estudos técnicos que vão disciplinar as condições da concessão da ferrovia greenfield Ferrogrão

  • Ferrogrão traz à baila uma governança engripada

    A expectativa era grande com relação ao início do processo licitatório para concessão da Ferrogrão (EF-170), uma das espinhas dorsais da acalentada e genericamente denominada “Saída-Norte”. Uma aparente quase unanimidade tem agora futuro sombrio com a recente recomendação do Ministério Público Federal – MPF para anulação das Audiências Públicas agendadas pela ANTT

  • Ferrovias brasileiras: conheça os fatos históricos mais curiosos

    A primeira ferrovia no Brasil foi inaugurada em 1854 pelo Imperador Dom Pedro II e possuía uma extensão de 14,5 km, conhecida como Estrada de Ferro de Mauá. Ao longo dos anos as ferrovias passaram por várias expansões e também sofreram com o abandono e esquecimento. O transporte ferroviário é um dos mais utilizados no Brasil e no mundo, e conhecer a sua história é essencial. Leia tudo sobre a história das ferrovias brasileiras e fique por dentro do assunto.

  • Ferrovias: Importância Para o Transporte de Carga

    A utilização de ferrovias para o transporte de cargas no Brasil se iniciou em 1854 com a construção da primeira ferrovia no país. Entre os anos de 1870 até 1920, esse modal era o mais utilizado para a atividade. Com a priorização de investimento nas rodovias, as ferrovias passaram por um declínio e hoje retornam a ser um dos principais modais de carga no Brasil. 
    Aprenda mais sobre o papel do modal ferroviário no transporte de cargas.

  • Fundo Nacional de Desenvolvimento Ferroviário é aprovado no Congresso

    O FNDF será composto de recursos do Orçamento da União, de doações e de outras fontes, tais como a quantia arrecadada com a outorga da subconcessão da Estrada de Ferro 151 — conhecida como Ferrovia Norte-Sul —, no trecho entre Porto Nacional (TO) e Estrela D’Oeste (SP)

  • Governo Bolsonaro rumo ao Arco Norte

    Portogente tem enfatizado a importância do Arco Norte do Brasil como logística para exportação e para desenvolver uma região de grande potencial para o novo paradigma produtivo internacional. Ao concluir a construção da Ferrovia Norte-Sul (FNS), iniciada no regime militar há mais de 30 anos, haverá integração ferroviária do Rio Grande do Sul ao Pará que poderá surpreender as projeções de demandas hoje consideradas superestimadas

  • História da locomotiva a vapor

    Sílvio dos Santos

    Um dos primeiros precursores da locomotiva a vapor foi o veículo autopropulsor idealizado em Pequim, no ano de 1681, pelo jesuíta francês Ferdinand Verbiest. Em 1769, Joseph Cugnot, militar francês, construiu em Paris um veículo a vapor destinado ao transporte de munição. O aparecimento da locomotiva, e com ela o das vias férreas, está associado tradicionalmente ao nome do engenheiro inglês Richard Trevithick

  • Inaugurada rota ferroviária que liga o interior de São Paulo ao Rio de Janeiro

    De acordo com comunicado da companhia, diversos fatores motivaram a Contrail a estabelecer este novo trecho, entre eles o aumento dos índices de roubo de cargas nesse trecho e também a Política de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas

  • MPF pede anulação de concessão de linha férrea no Porto de Santos

    Codesp dispensou licitação sem justificativa para permitir que quatro companhias explorassem linhas férreas no interior do terminal portuário

  • Perigos ambientais nos trilhos da Norte-Sul

    O Ministério Público Federal voltou a acionar a Justiça para que o licenciamento ambiental do trecho sul da Ferrovia Norte-Sul seja revisto. A Procuradoria ajuizou o pedido após tomar ciência de que a Valec, empresa estatal responsável pela construção da linha férrea, vem descumprindo uma ordem liminar de 2016...

  • Riscos da renovação antecipada da malha ferroviária paulista à empresa Rumo

    O contrato vigente prevê o encerramento da concessão da malha ferroviária paulista à Rumo Logística em dezembro de 2028. O Ministério da Infraestrutura e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) apresentaram proposta de prorrogar antecipadamente o contrato por mais 30 anos. Em contrapartida, a Rumo se comprometeria a realizar obras de ampliação da capacidade do transporte de cargas e de resolução de conflitos urbanos em cidades paulistas que são cortadas pela ferrovia

  • Sem entregar cobertura em Santos, Rumo aguarda TCU para antecipar renovação na Malha Paulista

    O prazo de exploração da Malha Paulista pela Rumo termina em 2028 e o contrato assinado prevê uma prorrogação por mais 30 anos. A Rumo, todavia, quer antecipar a renovação para ter tempo de amortizar investimentos necessários no ativo.

  • Trens não andam na linha em Santos

    Quem nunca viu a famosa placa de sinalização “Pare, Olhe e Escute”, instalada no cruzamento das linhas férreas? Pois é, mas até mesmo cumprir esta simples determinação tem se tornado difícil na Baixada Santista. A falta de sinalização, o vandalismo contra o patrimônio e o descaso das autoridades geram acidentes e o receio em alguns motoristas que, em pelo menos três cidades da Baixada Santista, são obrigados a cruzar a linha diariamente, pois os trens de carga rumam incessantemente ao Porto de Santos.