O Cone – Condomínio de Negócios, empresa líder do Nordeste em sua área de atuação –, prevê crescimento de 15% em sua plataforma em Suape (PE), quando estiver operando o segundo terminal de contêineres, o Tecon 2. O projeto, orçado em quase R$ 1 bilhão, mais que dobrará a capacidade anual de movimentação de contêineres do porto, passando dos atuais 700 mil para 1,7 milhão de TEUs. Seu estudo de viabilidade foi desenvolvido por Suape e está nas mãos do governo federal.

“Também estamos nos mobilizando, com apoio do governo de Pernambuco, para que haja integração das atividades do Porto Digital e de Suape”, comentou Marcos Roberto Dubeux, presidente do Cone S/A. Além da plataforma de negócios em Suape (PE), a empresa também opera em Aratu (BA). “Há uma recuperação da economia que deverá aumentar a demanda dos serviços do condomínio de negócios, como centro de apoio e triagem de caminhões e motoristas, central de cargas, depósito de contêineres, pátio de cargas e self storage”, salienta Dubeux.

O presidente do Cone S/A esteve com Yossi Sheffi, diretor do Centro de Transportes e Logísticas do MIT e Jorge Quijano, CEO do Canal do Panamá no evento "Logística e Inovação: uma estratégia para Pernambuco", na semana passada no Recife, e na Intermodal, em São Paulo, onde falaram sobre o modelo de negócios do Cone e a inovação tecnológica proposta pelo modelo privado já adotado com sucesso em Suape.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente