Quais são os melhores cartões de crédito do mercado? Optar por um cartão sem anuidade é o suficiente para economizar? Como garantir que o serviço não se torne um inimigo da saúde financeira?

São muitas perguntas, é verdade, e todas são relevantes. Quem deseja ter um cartão de crédito não pode se empolgar com o limite oferecido e nem gastar sem pensar: a conta, no final, sempre precisará ser liquidada. E, a depender do valor da fatura, a situação pode ficar bem complicada.

Neste artigo, daremos sete dicas para quem está em busca de utilizar o seu cartão de crédito de forma responsável e inteligente. Se este assunto lhe é interessante, fique por aqui!

Antes de tudo: cartão de crédito sem anuidade é a melhor opção?

Depende. Há companhias de cartão de crédito que oferecem, junto com a anuidade, algumas vantagens (programas de pontos, sorteios mensais ou anuais, descontos em lojas físicas e virtuais).

Da mesma forma, há empresas que, depois de uma boa conversa, diminuem consideravelmente o valor da anuidade do cartão de crédito. Há relatos de indivíduos que, depois de falarem diretamente com o SAC, conseguiram zerar a cobrança por anos.

A melhor opção é sempre verificar os prós e contras de cada cartão de crédito. Se a anuidade parece muito alta e não oferece nenhuma contrapartida, prefira uma opção enxuta, mas sem cobranças a mais.

Isto dito, falemos agora sobre as formas saudáveis de utilizar o seu cartão de crédito. Confira!

Sempre faça o seu planejamento financeiro

O ideal é que você utilize o cartão de crédito apenas para emergências ou para pagar produtos pontuais, que não podem ser pagos integralmente - como notebooks, desktops, televisões, aparelhos de telefone -, de preferência com um parcelamento sem juros.

Antes de fazer compras de pequeno e grande porte, você deve avaliar o que o seu salário acha disso: se a fatura ficar mais alta do que o dinheiro que você tem "sobrando" (ou seja, o dinheiro que resta após o pagamento dos boletos primordiais), você terá um problema.

Uma boa dica é baixar um aplicativo de planejamento financeiro, para estar sempre atento às movimentações da sua conta corrente. Criar uma planilha física ou virtual também é uma ideia: com tudo anotado, você ficará surpreso com a quantidade de dinheiro que gasta impulsivamente.

Não coloque todas as cobranças no cartão de crédito

TV por assinatura? Internet? Telefone? Em geral, é melhor manter os comprovantes de pagamento sempre à mão, para o caso de um problema.

Se você se habitua a colocar tudo no cartão, pode acabar perdendo um pouco a noção do quanto gastou (já que o dinheiro da sua conta permanece intocado) e terminar com uma fatura difícil de quitar.

Cuidado com aplicativos de comida ou corrida

Um complemento para o tópico anterior: se for necessário pegar uma carona com um carro de aplicativo, como o Uber, prefira que o valor seja descontado da sua conta corrente ou pago em dinheiro.

Da mesma forma, cuidado com pedidos em aplicativos que oferecem cupons e similares: podem parecer muito econômicos e práticos, já que fazem a cobrança diretamente pelo seu cartão, mas também podem acabar com o seu planejamento financeiro.

A melhor forma de economizar enquanto se alimenta bem permanece sendo a tradicional, acredite.

Mantenha o limite aceitável

O seu limite não deve ultrapassar 50% do seu salário - e os seus gastos com compras e afins no crédito, de preferência, não devem tomar nem 25% do quanto você ganha por mês.

Você pode pedir um aumento de limite em situações específicas, como quando vai fazer uma viagem internacional, mas isso deve ser planejado: do contrário, pode não ser possível fugir das dívidas.

Não tenha mais de um cartão

Um cartão que tenha a função débito e crédito ao mesmo tempo é a melhor opção. Se isso não for possível, tenha um cartão para débito e um para crédito.

Ter dois cartões de crédito, mesmo que um seja de alguma loja de sua preferência, pode destruir o seu planejamento e fazer com que você perca o controle dos seus gastos. Para além disso, as taxas a serem pagas podem ser maiores.

Tente pagar a fatura integralmente

Quando você paga o valor mínimo, pode terminar endividado: os juros que incidem sobre os valores gastos no cartão de crédito são altíssimos.

Se você perdeu a linha e não vai conseguir pagar a sua fatura, cogite pegar um empréstimo com juros baixos e zerar as dívidas.

Mantenha uma reserva

Melhor do que utilizar o cartão de crédito em caso de uma emergência é não precisar colocar todos os gastos feitos “no susto” nele: se você tem uma reserva, pode utilizá-la para resolver alguns problemas e, então, parcelar um valor menor no cartão de crédito.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

  escreva corporativas

O que você achou? Comente