Se você está estudando para o Exame da OAB, precisa acompanhar algumas dicas para carreira na advocacia. Afinal, essa é uma área muito competitiva e é necessário se esforçar para ter sucesso nela.

Existe, atualmente, cerca de 1 advogado para cada 190 habitantes no Brasil. O número é alto e demostra que há uma grande competição entre os profissionais de Direito.

Por isso, quem quer se destacar precisa de todas as dicas para carreira na advocacia que conseguir encontrar. Quer ter sucesso? Então siga a leitura abaixo!

5 dicas para carreira na advocacia

1. Procure uma área menos concorrida

Existem ramos jurídicos que são mais ou menos concorridos. Por exemplo, o Direito Trabalhista é muito concorrido. Já o Direito de Tecnologia é bem menos cheio.

Por isso, é importante estudar para entrar em um segmento menos concorrido, de forma a ter um espaço melhor para poder começar a sua carreira. No entanto, o ramo certo deve atender dois requisitos:

● ter um futuro promissor;

● ter demanda na sua região.

Faça uma pesquisa e veja quais são os ramos do Direito que estão em maior evidência (podemos citar a tecnologia, o Direito Previdenciário, o Ambiental e o Eleitoral como exemplos) e quais deles são mais interessantes para a sua região.

2. Busque uma área com a qual você tenha afinidade

Você já ouviu falar na máxima de que devemos trabalhar ocm o que amamos? Talvez não seja realmente obrigatório trabalhar com o que amamos, mas um mínimo de afinidade é essencial. Afinal, isso ajuda a manter o profissional motivado.

Digamos que você goste de futebol. Então que tal o Direito Desportivo? Existem alguns profissionais especializados no assunto, como o escritório de advocacia Maria Pessoa.

Vamos supor que você goste muito de tecnologia. Que tal estudar a aplicação de IA no Direito? Ou, talvez, os cibercrimes? Seja como for, ache algo que desperte seu interesse.

3. Estude para ser o melhor do segmento

É verdade que, não importa a sua área, sempre haverá alguém melhor. No entanto, isso não é desculpa para que hajam centenas ou milhares de pessoas melhores. Afinal, a advocacia não é um espaço para um rendimento mediano.

Se você está entrando agora no Direito, saiba que a concorrência é tão grande que não há espaço para resultados medianos. É necessário ser um excelente profissional para conseguir seu espaço em um mercado tão disputado.

Por isso, não se dê por satisfeito só por passar no exame da OAB. Siga se especializando até ser um dos melhores nomes do mercado no seu ramo.

4. Invista em Marketing de Conteúdo

Para ter sucesso na advocacia, é necessário investir em Marketing de Conteúdo. Explicando de maneira simples, essa estratégia se aproveita do gigantesco volume de buscas do Google para atrair potenciais clientes para o seu site.

O Direito combina muito bem com a estratégia pois sempre há dúvidas e necessidades por parte do público. Assim, é possível produzir artigos explicativos e construir autoridade no Google, recebendo um fluxo estável de visitas.

Em seguida, é possível montar uma estratégia de conversão desses contatos seguindo as regras do Código de Ética da OAB. Esse tipo de estratégia permite que um iniciante possa conseguir contatos por conta própria e seja mais independente na sua atuação profissional, sem depender de trabalhar em outros escritórios.

5. Firme parcerias com outros profisssionais

Sendo um iniciante no mercado, é essencial que você ganhe experiências até ter confiança para assumir um caso por conta própria. Por isso, você deverá firmar parcerias com outros escritórios.

É comum que escritórios grandes ou de outras cidades contratem advogados iniciantes para fazer pequenos trabalhos simples. O objetivo disso é poupar tempo e recursos dos grandes advogados, além de permitir que os pequenos consigam a experiência necessária na área.

E aí, gostou das nossas dicas para carreira na advocacia? Se você segui-las, terá um começo melhor no segmento. Não esqueça de deixar um comentário abaixo com a sua opinião sobre o assunto!

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente