Se você não tem nenhuma experiência, contratar um profissional deve ser encarado como um investimento, em vez de um gasto.

Quem não gostaria de uma máquina de lavar roupas e louças, além de um ar-condicionado? A tecnologia deixa a nossa rotina dentro de casa mais fácil e confortável. Eletrodomésticos e outros aparelhos são sonhos de consumo de uns e até considerados itens básicos para quem já tem e não vive mais sem.

No entanto, além de comprar, é preciso pensar em como instalar. Esse processo faz toda a diferença no bom funcionamento de um dispositivo, assim como a manutenção correta. Ignorar boas práticas pode acabar trazendo muita dor de cabeça e prejuízo. Por isso, preparamos uma lista com os erros mais comuns nessa hora, com dicas para fazer do jeito certo.

Comprar o mais barato

Nem sempre o orçamento permite comprar aquele aparelho top de linha, mas economizar a qualquer custo também não é a melhor ideia. Quando a qualidade é muito inferior, o barato pode sair caro. Faça uma boa pesquisa e veja as avaliações de quem já tem antes de escolher.

Fazer você mesmo, sem conhecimento

Instalar e limpar aparelhos pode parecer uma boa ideia para economizar com esses serviços, mas também pode dar errado, especialmente, se você não faz ideia do que está fazendo. Nesses casos, pagar pelo serviço é uma forma de garantir que tudo vai funcionar bem.

Conexões mal feitas, sobretudo, relacionadas às redes elétricas e hidráulicas, podem representar um perigo, não só para o aparelho, mas também para a segurança de quem está na sua casa.

Hoje, existem bons tutoriais na internet, ensinando a instalar quase tudo, mas até para isso você precisará ter noções básicas. Operações mais simples, como trocar a resistência de um chuveiro, têm mais chances de sucesso. Já serviços mais complexos, como instalar um ar-condicionado, requerem um profissional.

Usar qualquer material

Este erro costuma estar relacionado com o primeiro e prejudicar a vida útil dos aparelhos. O brasileiro tem mania de fazer gambiarras, mas usar as ferramentas e os materiais adequados é muito importante para a vida útil do dispositivo.

Se estamos falando de um ar-condicionado, por exemplo, você precisará de tubos feitos em material adequado para suportar a carga técnica e o processo de drenagem da água. Improvisar quase nunca é uma boa ideia a longo prazo.

Não avaliar o local de instalação

Antes de comprar um aparelho, é preciso avaliar o local onde ele será instalado. Primeiro, é preciso medir se ele vai caber confortavelmente naquele lugar, o que vai influenciar no seu conforto ao usá-lo.

É importante avaliar a disponibilidade de tomadas naquela voltagem e se não passa nenhuma tubulação em uma parede que vai precisar ser furada, por exemplo. Também vale avaliar a capacidade das instalações elétricas. Algumas casas antigas têm sistemas que não suportam muitos aparelhos, o que pode gerar um curto-circuito.

Muita gente se esquece de fazer isso e percebe que a instalação não vai ser possível quando já adquiriu o equipamento, o que pode acarretar prejuízos. Certamente, existe uma opção adequada para o seu espaço, mas para saber disso, é preciso pensar e pesquisar antes.

Não consultar as regras do condomínio

Sua casa é seu espaço, mas antes de adquirir um aparelho, é importante checar se as regras permitem a instalação, principalmente se você mora em um condomínio. Além dos horários para barulho, alguns não permitem quebrar paredes e mexer na rede elétrica, o que pode ser necessário, dependendo do equipamento.

Esquecer a manutenção

Todo equipamento exige manutenção periódica para ter vida longa. Ele deve ser limpo com alguma frequência, e alguns, como ar-condicionado e máquina de lavar, pedem a troca de peças, como os filtros, de tempos em tempos. Muita gente ignora as orientações do fabricante, mas a conta costuma chegar.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente