Mais que um ato de amor, adoção é um compromisso social. No entanto, a chegada de um novo bichinho exige alguns cuidados. Conheça os principais.

Dizem que o cachorro é o melhor amigo do homem. Por ser um animal fiel, carinhoso e com ótima memória, os cães são o bicho de estimação favorito em praticamente todos os países.

Por outro, infelizmente, eles também são os animais com maior incidência de abandono. De acordo com a Agência Nacional de Direitos Animais (ANDA), só na cidade de São Paulo existem, aproximadamente, dois milhões de cachorros abandonados.

Por esse motivo, cada vez mais a conscientização sobre a adoção animal tem ganhado a devida atenção. Quem decide adotar um filhote deve estar atento a alguns fatores. Entre eles, consultas com um veterinário e ração de qualidade. Confira.

Idade mínima para adoção

Sabemos que a adoção também é uma situação de urgência e, nem sempre, é possível que seja feita em condições ótimas. De todo modo, em casos especiais, como mães que deram à luz em um abrigo ou pertencem a um conhecido, é importante que o processo não seja feito antes dos 60 dias de vida do filhote.

Esses dois primeiros meses com a mãe são essenciais para que eles desenvolvam algumas habilidades que somente a socialização maternal será capaz de conferir a ele. Adotar antes disso pode trazer dor de cabeça no futuro, além de estresse e trauma para o seu amigo peludo.

Veterinário de confiança

Após a adoção, uma primeira consulta com o veterinário é essencial. Nesse momento, o médico especializado em animais vai te informar medidas básicas a serem tomadas para a manutenção da saúde do seu filhote recém-adotado. Entre elas, as vacinas necessárias, o procedimento de vermifugação e as informações sobre a saúde do animal.

A escolha do veterinário deve ser feita com antecedência, por meio de pesquisa e recomendações. Idealmente, você deve construir uma relação de confiança com o profissional. Isso é positivo, tanto porque o veterinário estará cada vez mais familiarizado com o seu bichinho, quanto porque é importante que o animal confie no profissional.

Importância da alimentação

Nem é preciso dizer que a melhor opção para a alimentação do seu filho é a ração. Comida de panela, preparada para adultos, e, em especial, restos dela, pode causar danos à saúde do animal, em especial, os filhotes.

O que muita gente não se atenta, porém, é a escolha da ração certa. Além de ser importante que os filhotes recebam alimentos específicos para eles, a comida deve ser apropriada para o porte do animal, e isso vai depender da raça de cada um.

O mais indicado é que, nessa primeira consulta com o veterinário, ele te indique uma boa ração. Quem puder deve priorizar o tipo premium. Ele tem ingredientes selecionados e de qualidade, o que promove a saúde do seu animalzinho.

Privacidade para as necessidades

Ao contrário do que muitos pensam, filhotes não gostam de fazer cocô e xixi em todo lugar, muito menos perto de onde eles comem ou dorme. O que acontece é que, assim como os bebês humanos, eles ainda têm dificuldade de controlar essa vontade e acabam utilizando qualquer lugar.

O ideal é que você separe alguns jornais, longe de onde eles se alimentam e descansam, e indique para eles que ali é o local certo para que isso aconteça. Cachorros aprendem rápido, e a melhor forma de você ensinar para eles que aquele é o lugar correto, é elogiá-lo toda vez que ele usar o espaço destinado.

Hora do sono

Este é um dos momentos mais temidos por quem decide adotar um filhote, pois, não são raras as vezes em que ouvimos a história de um amigo ou conhecido que perdeu várias noites de sono nas primeiras semanas após a chegada de um cachorrinho novo na família.

Cachorros não são acostumados a dormirem sozinhos e, por esse motivo, a primeira noite, provavelmente, será a pior. Uma estratégia que poderá ajudar, tanto o cachorro, quanto você, a dormir melhor é apresentar o local destinado ao sono ainda durante o dia. Isso vai fazer com que ele se sinta mais seguro e entenda, aos poucos, que aquele espaço é dele.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente