Plataformas aproveitaram o isolamento social e maior utilização da internet para conquistar novos adeptos

A pandemia do novo coronavírus varreu o mundo em diversos setores. A crise sanitária, que começa a ser revertida em meio à vacinação em massa, fez com que medidas de isolamento social fossem implementadas em muitos lugares. Diante desse cenário, especialistas em tecnologia e também no mercado de jogos de azar analisam um "boom" na utilização de plataformas online de cassinos online.

 

Mas qual o argumento por trás dessa movimentação no mercado? Bom, em geral, governos estão reforçando medidas de isolamento social. Isso significa que as pessoas estão confinadas em casa o dia todo. A maioria delas tem como entretenimento a utilização do computador e da internet. Em paralelo, há a descoberta de atividades que, até então, não estavam inseridas no cotidiano das pessoas, como são os cassinos online.

 

Isso acontece também porque os jogos de azar no Brasil são proibidos desde a década de 1940. Antes disso, cassinos da Urca e do Copacabana Palace eram famosos por receber festas luxuosas e reunir a nata da sociedade carioca. Atualmente, os jogos de cassino online no Brasil têm pouco espaço na internet, já que a prática é dominada por plataformas estrangeiras. Países como Inglaterra e EUA têm uma legislação mais avançada e conseguem reunir mais adeptos.

 

O Brasil, portanto, pode estar deixando de surfar uma onda extremamente lucrativa e vantajosa, ainda que os números de crescimento possam variar. A empresa Flutter Entertainment, em seu último relatório de resultados trimestrais ao longo de 2020, comparou seus resultados antes e depois de 15 de março, a última semana em que os esportes ao vivo foram transmitidos, antes da pandemia. No que poderia então ser considerado o “período de interrupção”, a receita das plataformas online do grupo aumentaram em média 15% no Reino Unido.

 

Já os números do Stars Group mostraram um aumento ainda mais notável na receita de sua divisão internacional, composta em grande parte pela marca Pokerstars. A receita cresceu 44% ano-a-ano em março. O que isso mostra? Que as pessoas estão procurando novas formas de divertimento. Em alguns casos, procuram incrementar a renda com o sucesso das apostas online e dos jogos de azar.

 

A operadora disse que o aumento "mais do que mitigou" a perda de receita das apostas esportivas. Esse crescimento ficou ainda mais acentuado na primeira quinzena de abril, período em que a receita do segmento internacional cresceu 75% em relação ao mesmo período de 2019.

 

Fintan Costello, executivo-chefe da empresa de marketing de afiliados Bonus Finder, diz que houve um grande aumento nas pesquisas por cassinos online nos Estados Unidos. Ele espera que esse padrão seja replicado em todo o mundo. Por outro lado, Richard Skelhorn, fundador da operadora BGO e afiliada Atemi, afirma que a BGO teve um crescimento de apenas 8% na receita e 4% nos depósitos.

 

Enquanto empresários do setor comemoram os níveis favoráveis e, de certo, torcem o nariz para o enclausuramento causado pela pandemia, autoridades tentam limitar a atuação dos cassinos. Diversos países tentaram dar alguma segurança à utilização dos cassinos durante a pandemia. A Letônia foi o mais rígido de todos os países, optando por proibir totalmente o jogo online.

 

O parlamento de Portugal aprovou um projeto de lei exigindo que o governo tome algum tipo de ação para restringir o jogo online durante a pandemia. O país tem tentado mudar regras para dar mais segurança à população, mas também às plataformas que disponibilizam jogos online.

 

Na Grã-Bretanha, as operadoras cessaram toda a publicidade audiovisual a partir de 7 de maio, apesar de sindicatos do setor negarem categoricamente qualquer aumento no jogo online. A entidade tem monitorado os níveis de acesso da população e conversado com empresários. “Temos trabalhado em estreita colaboração com nossas empresas-membro desde que esta crise começou para monitorar o impacto das apostas e jogos”, disse o CEO do Conselho de Apostas e Jogos, Michael Dugher, na época.

 

Muitos dirigentes de associações e políticos argumentam que a exposição a jogos online e suas propagandas pode ser um mau negócio para a população. Há o temor de que o endividamento e o descontrole possam crescer demasiadamente em um período de vulnerabilidade social e psicológica de muitas pessoas, influenciadas pela pandemia.

 

Por outro lado, setores comerciais e empresários do setor de apostas esportivas argumentam que as economias de diversos países do mundo estão em frangalhos por causa da pandemia. Empresas de todos os tipos foram afetadas. Algumas fecharam as portas e deixaram milhares de desempregados sem ter para onde ir. Neste cenário, brecar a ascensão de uma indústria em crescimento pode frear a movimentação de uma economia já fragilizada pela covid-19.

 

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente