O porto do futuro será modelado por avanços em tecnologia, maior dependência de automação e maior conformidade ambiental

Quando da realização do webinar Santos2050 em 360º, na plateia virtual estava o eloquente José dos Santos Martins, diretor do Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de SP – Sopesp. O evento foi amplamente comentado pela entidade. Por valorizar a importância dessas opiniões  no sentido de aprofundar o entendimento e clarear a implementação da proposta, Portogente quer debater essas visões. De um projeto que potencializa o programa governamental e vai muito além.

600 Navio NOV2020 6

Leia também 
Santos2050: um projeto para mais de US$ 25 bilhões

Complementar ao programa de desestatização, trata-se de pensar o porto dos próximos 30 anos, focando o desenvolvimento. Uma conversa bastante agradável e entusiasmada para os happy hours portuários. Com absoluta certeza, o tema é tratado observando o horizonte dos portos nacionais e mundiais. Portanto, plenamente justificada a pertinência de pensar como será o amanhã do Porto de Santos. Qual o legado que deixará esta geração portuária? Não convém ser jamais um passado que perdeu o futuro.

Artigo | Carlos Eduardo Bueno Magano 
O desenvolvimento que precisa chegar aos portos brasileiros

Duas questões devem mediar esse desejável debate: a proposta tem consistência? Como fazer para implantá-la? Quem define os parâmetros portuários é a carga e, consequentemente, o navio. No entanto, a oportuna proposta Santos 17, para aprofundar o canal de acesso, não prosperou, por ter sido tratada sem contexto suficiente para gerar energia necessária para reformar o Porto de Santos. Um porto de uma história à frente do seu tempo, escrita por Gaffrée e Guinle. E precisa ser reeditada.

Artigo | Frederico Bussinger 
Centralização embutida na desestatização portuária?

O Sopesp, em seu propósito de desenvolver e fomentar a competitividade das atividades portuárias no Estado de São Paulo, certamente cumpre essas missões antenado no debate do Santos2050. Entretanto, isto não é suficiente para ser atestado como o interlocutor legitimo dos assuntos relativos ao setor. Principalmente por ser um sindicato inspirado e nascido pelo calor da mais avançada reforma portuária, pós estatização dos portos: a lei 8.630/93. Um histórico de muita e relevante força.

Editorial | Portogente
Túnel submerso é infraestrutura do Porto de Santos

O futuro dos portos está em marcha com novos paradigmas: tecnológico, naval e ambiental. A competitividade do Porto de Santos no comércio internacional está ameaçada. A conjuntura mundial é favorável à captação de investimentos com projetos robustos, com destaque à segurança jurídica. A busca desse futuro próximo é aprofundar o mar do porto; torná-lo maior e mais ágil tecnologicamente, para duplicar a sua movimentação atingida com mais de cem anos de expansão, em 30 anos.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website

O que você achou? Comente