Com investimentos superiores a R$ 75 milhões, uma antiga usina de açúcar desativada e hoje patrimônio cultural e arquitetônico da cidade de Piracicaba (interior de São Paulo), se transformará em um gigantesco ambiente corporativo voltado ao agronegócio a partir do início das atividades da Usina de Inovação Monte Alegre.

O lançamento oficial do espaço multiuso ocorreu no dia 1º de dezembro durante a programação do 2º AgTech Day. A iniciativa é do empresário Wilson Guidotti Júnior (Balu Guidotti) com apoio de investidores e a estratégia é transformar o empreendimento, que possui uma área de 427 mil m², em um espaço multiuso, criando um sistema totalmente integrado e alto impacto para abrigar e pesquisa e desenvolvimento de tecnologia.

O local contará com coworking, que tem previsão de início de atividades para o mês de fevereiro de 2017, e abrigará espaços para eventos, feiras, shows, lançamentos de produtos e, futuramente, um hotel com centro de convenções. O complexo - que está sob a tutela do Estado e do município, via Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) e Codepac (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural), respectivamente -, será totalmente restaurado.

De acordo com Philip Yang, membro do Conselho Executivo da Usina de Inovação Monte Alegre e que apresentou os detalhes durante o 2º AgTech Day, a apropriação do Monte Alegre para a instalação da Usina de Inovação é um projeto futurista. “Vivemos um momento importante nos processos de arquitetura e urbanismo, em sintonia com uma tendência de aproveitar espaços em desuso para abrigar práticas inovadoras”, disse o especialista.

Na opinião do empresário Wilson Guidotti Júnior, um dos diferenciais deste novo empreendimento é o DNA para atrair os gigantes do agronegócio, interessadas em instalar suas representações, agências de negócios ou laboratórios de inovações em busca de novas soluções tecnológicas. No mesmo local, que também poderá abrigar startups, funcionarão atividades voltadas para o desenvolvimento da agricultura de precisão e a chamada internet das coisas no campo”, exemplificou o empreendedor Guidotti.

Celeiro High-tech
Como um grande celeiro High-tech, o complexo foi concebido para atender, em um único local, um profissional que busca uma coworking ou que venha participar de um congresso, bem como organizadores de eventos. O conceito é baseado no sistema de ‘tudo em um único lugar’. “Aqui tudo foi pensado para se ter um modelo eficiente de serviços e produtos relacionados disponíveis em um só local”, explicou.

Cidade concentra 38% das startups
Piracicaba concentra 38% das startups – empresas de tecnologia em etapa inicial - voltadas ao desenvolvimento do agronegócio no Estado de São Paulo e 18,6% do país. Com 14 iniciativas diferentes, a cidade soma um número maior de startups no segmento do que estados como Minas Gerais e Paraná.

Os números foram obtidos pelo 1º Censo AgTech de Startups, realizado pela aceleradora AgTech Garage e Esalq-Tec, Incubadora Tecnológica daEsalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz). Segundo os responsáveis pelo levantamento, o censo teve o objetivo de mapear o setor de tecnologia aplicada ao agronegócio e gerar informações que contribuam com o desenvolvimento da cadeia de inovação no campo. A pesquisa apontou a existência de 75 startups no país que desenvolvem tecnologia voltada para o campo, das quais 37 ficam no Estado de São Paulo, 13 em Minas Gerais e sete no Paraná.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s