Ministério da Defesa e Infraero

O Cinturão Verde, projeto social da Infraero no Aeroporto de Imperatriz/Prefeito Renato Moreira (MA), recebeu neste mês de abril duas novas estufas, um kit de irrigação de plantações e um viveiro de plantas. Com os novos espaços e equipamentos, o projeto irá aprimorar as atividades desenvolvidas, inclusive com o processo de transferência de tecnologia. A doação foi feita pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), uma das parceiras da Infraero no projeto, realizado no aeroporto desde 2001.  O Cinturão Verde desenvolve diversas iniciativas, atendendo à comunidade do entorno do aeroporto e auxiliando as atividades acadêmicas de escolas agrotécnicas e centros universitários da região. A Infraero disponibiliza os espaços de plantio, pesquisa e realização de cursos no sítio aeroportuário e contribui para a aquisição de equipamentos e materiais para o desenvolvimento das atividades exercidas no projeto. São oferecidas aulas de informática e atendimento odontológico, além de cursos e palestras para a produção de alimentos hortifrutigranjeiros. O projeto realiza também estágio para universitários na área de agronomia, trabalhos de pesquisas de centros universitários e escolas agrotécnicas da região e disponibiliza espaço e ferramentas para aulas práticas do curso de Agronomia da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). O objetivo é estimular tanto o crescimento intelectual e acadêmico dos jovens da comunidade quanto aumentar os recursos e conhecimentos dos agricultores que trabalham na região, ampliando também o leque produtivo da atividade agrícola.

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
A Infraero deu início nesta terça-feira (16/4), no Aeroporto Internacional de Confins/Tancredo Neves (MG), aos cursos de Formação Técnica de Bombeiros de Aeródromo (FTBA) e de Operadores de Carro Contra Incêndio (CCI) para os bombeiros militares da Força Nacional de Segurança Pública. O curso de aperfeiçoamento conta com 40 participantes.
 
As aulas, conduzidas por instrutores da Infraero, vão abordar atividades práticas e teóricas envolvendo o Sistema de Aviação Civil, familiarização com a aviação e o complexo aeroportuário, proteção e combate contra incêndios nas dependências do aeroporto e em aeronaves, táticas de salvamento e condução de veículos para emergência, assim como a utilização apropriada dos equipamentos disponíveis para situações de risco.
 
A iniciativa é uma parceria entre as superintendências de Recursos Humanos e Segurança Aeroportuária da Infraero, com o apoio da Superintendência Regional do Sudeste, responsável pelos aeroportos administrados pela empresa nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Na abertura dos cursos, o superintendente da Regional Sudeste, Mario Jorge Fernandes, destacou a importância do treinamento. “É uma honra para a Infraero treinar os profissionais presentes aqui. O curso aperfeiçoará ainda mais os conhecimentos dos bombeiros para salvar vidas e prevenir imprevistos”, disse.
 
Em 2012, a Infraero realizou, também no Aeroporto de Confins, o primeiro treinamento em FTBA e CCI para membros da Força Nacional de Segurança Pública. Os cursos foram ministrados entre os meses de novembro e dezembro, habilitando 28 bombeiros.
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
Os aeroportos de Aracaju (SE) e Ponta Porã (MS) realizaram neste mês de março cursos e exercícios de segurança para aperfeiçoamento dos procedimentos de prevenção e salvamento nos dois terminais. Em Ponta Porã, foi concluído na última sexta-feira (22/3) o Curso de Aperfeiçoamento Técnico de Bombeiros de Aeródromos (Ateba), que tem como meta atualizar os conhecimentos e habilidades dos bombeiros que atuam na Seção Contra Incêndio (SCI) do aeroporto. Além de aperfeiçoar os procedimentos técnicos desses profissionais, o treinamento mantém os bombeiros atualizados quanto aos serviços de salvamento e combate a incêndios, conforme a resolução nº 115 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), utilizando tanto aulas teóricas quanto exercícios simulados. Já em Aracaju, foram realizados o Curso de Voluntários de Emergência (CVE) e o Exercício Simulado de Emergência Aeronáutica (Esea), concluídos em 15/3. O CVE tem como objetivo ensinar aos colaboradores procedimentos a serem tomados e técnicas de salvamento e primeiros socorros em caso de emergências, incêndios e acidentes aeronáuticos. Já o Esea é um exercício prático que testa a eficácia do Plano de Emergência (Plem) do aeroporto, medindo a prontidão dos profissionais envolvidos nas ações de resgate e atendimento e a adequação dos recursos disponíveis para lidar com emergências. O Ateba, o CVE e o Esea são ministrados anualmente em todos os 63 aeroportos da Rede Infraero.

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
A Infraero emitiu na terça-feira (12/3) a ordem de serviço para a execução dos projetos e obras de ampliação e reforma do terminal de passageiros do Aeroporto Internacional de São José dos Pinhais/Curitiba - Afonso Pena (PR). O documento autoriza o início dos trabalhos, cujo investimento total será de R$ 246,7 milhões. O processo licitatório foi realizado por meio do Regime Diferenciado de Contratações (RDC), sendo o primeiro dentro da Infraero a utilizar a contratação integrada, em que os projetos e obras são realizados pela mesma empresa. Os primeiros serviços contemplam a elaboração dos projetos básico e executivo, cuja execução tem um prazo de seis meses. Em seguida, será iniciada a primeira etapa das obras, que prevê a implantação de 32 novos balcões de check-in, oito novas pontes de embarque, 17 novos elevadores, seis novas escadas rolantes e quatro esteiras de restituição de bagagens. Após a conclusão desta etapa, prevista para maio de 2014, o Afonso Pena terá capacidade para receber 10,4 milhões de passageiros por ano. Atualmente o aeroporto comporta 7,8 milhões de passageiros e a movimentação prevista para o ano que vem, incluindo a demanda da Copa, é de 7,6 milhões de embarques e desembarques domésticos e internacionais.

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
Bolsas, documentos, livros, roupas, cartões de crédito e até cadeiras de rodas: objetos de todos os tipos podem ser perdidos por um passageiro em um aeroporto, e a Infraero, para auxiliar os usuários a reaver pertences deixados nos aeroportos, disponibiliza em todos os 63 terminais da Rede uma seção de Achados e Perdidos.  A guarda e devolução de objetos perdidos nas dependências de um aeroporto da Rede são de responsabilidade da Infraero, sendo que os procedimentos e sistemas relacionados a Achados e Perdidos são realizados de forma compartilhada pelas áreas de Operação e Segurança de um aeroporto. As dependências de um terminal compreendem lugares como o saguão de passageiros, sistema de pistas e pátio, salas de embarque e desembarque, sanitários, estabelecimentos comerciais e estacionamento de veículos. Objetos perdidos dentro da aeronave, por sua vez, são de responsabilidade da companhia aérea que opera o voo. Neste caso, o passageiro deve entrar em contato com a empresa para os procedimentos de localização e recuperação do pertence.

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente