O secretário estadual João Octaviano Machado Neto, de Logística e Transportes de São Paulo, em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), respondeu às perguntas do Portogente, via e-mail, sobre as ações de sua pasta para resguardar a circulação das pessoas e das mercadorias.

João Octaviano Machado NetoSecretário João Octaviano Machado Neto à frente de uma rede logística que
atende à economia do País. Crédito: Divulgação.

Engenheiro de formação, o titular da pasta tem, sob sua responsabilidade, aeroportos do Interior, a hidrovia Tiête-Paraná, uma malha rodoviária de mais de 35 mil quilômetros, sendo grande parte estadual, 1.050 federais e 12 mil estradas vicinais, travessias litorâneas, portos marítimos. Além disso, a distribuição espacial da logística de transportes no território brasileira revela um destaque especial para o estado paulista, segundo mapa mural “Logística dos Transportes no Brasil” do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

São Paulo, aponta o levantamento, é o único estado com uma infraestrutura de transportes na qual as cidades do interior estão conectadas à capital por uma vasta rede, incluindo rodovias duplicadas, ferrovias e a hidrovia do Tietê. Além disso, o estado ainda comporta o maior aeroporto (Guarulhos) e o porto com maior movimentação de carga (Santos) do País.

É em cima dessa importância que a secretaria estadual vem atuando no momento em que a saúde pública indica o isolamento e distanciamento sociais para conter a propagação do novo coronavírus.

Portogente – Como a Secretaria tem se equilibrado em duas ações: garantir a movimentação das cargas e não infringir a ordem do governo Doria em defesa da vida?
João Octaviano Machado Neto – O Estado de São Paulo tem um papel importante na logística, na produção e no desenvolvimento econômico do País.

Por isso, estamos focados em medidas integradas com o objetivo não só de garantir o abastecimento de produtos em todas as regiões, para toda a população, como também proteger todos os profissionais que atuam nesta cadeia econômica.

Queremos, principalmente, garantir aos caminhoneiros boas condições para que exerçam bem o seu trabalho, assegurando a manutenção dos serviços essenciais, orientando sobre os cuidados com a saúde, sobre a situação das estradas e mostrando os esforços do Governo de São Paulo para juntos superarmos esse momento de dificuldade.

São os caminhoneiros que transportam os alimentos, os remédios, os insumos para os hospitais, enfim, tudo o que é fundamental para a vida das pessoas.

A produção e seu escoamento não podem parar e o momento pede integração.

Quais foram as medidas principais implementadas pela Secretaria para esse público?
João Octaviano Machado Neto - Já anunciamos diversas medidas para o setor. Suspendemos por 90 dias a pesagem dos caminhões, com isso, as viagens ficam mais rápidas, facilitando a chegada das cargas aos seus destinos neste contexto da pandemia do coronovírus. Essa é uma decisão importante tanto para movimentar a economia quanto para fornecer os bens necessários a população.

Também vamos entregar gratuitamente 25 mil adesivos eletrônicos (TAGs), sem taxa de adesão e com isenção de mensalidade por seis meses. A medida faz o caminhoneiro ganhar tempo na viagem, uma vez que a estimativa é que ele economize cinco minutos em cada passagem pela praça de pedágio. Essas medidas protegem os caminhoneiros e os funcionários, pois evitam o contato entre esses profissionais, reduzindo os riscos de disseminação do vírus.

Outras medidas importantes para ajudar os caminhoneiros também foram tomadas: criamos um Canal de Denúncias [0800 055 5510 ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., 24 horas] onde qualquer caminhoneiro poderá reclamar ou relatar uma situação ocorrida nas rodovias - como um bloqueio ou serviços essenciais fechados, por exemplo. Além disso, lançamos um site com um grande mapa com marcadores que informam a localização exata e a situação dos postos de abastecimento e dos locais de distribuição de kits. Com a ajuda do site, os caminhoneiros podem saber, por exemplo, se o estabelecimento está aberto, fechado ou com atividade restrita.

Também anunciamos a distribuição de 140 mil kits de alimentos, em parceria com as concessionárias, para os caminhoneiros nas estradas paulistas.

São alguns dos esforços do Governo de São Paulo para manter a economia do nosso Estado funcionando e ajudando o Brasil a sair deste momento difícil.

Nesses tempos de isolamento social, vimos a relevância das tecnologias digitais para manter a conexão de pessoas e atividades econômicas. Como esta Secretaria vem utilizando essas tecnologias nos seus trabalhos e ações?
João Octaviano Machado Neto - Além do site criado exclusivamente para informar os caminhoneiros nesse período de crise, com informações essenciais para o seu trabalho, a Secretaria de Logística e Transportes implantou, nesta gestão, o uso de drones [veículo aéreo não tripulado e controlado remotamente] para o monitoramento e decisões operacionais nas rodovias paulistas. Nesse momento de crise, eles são importantes.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s