"A inovação deve ser uma política de Estado e não uma política de governo. Por isso, a tríplice hélice – atuação conjunta do poder público, iniciativa privada e instituições de ensino – tem importância fundamental". A afirmação é do presidente do Orion Parque Tecnológico, de Lages (SC), Roberto Amaral, que participou, na última semana, do 2º Deatec Summit, realizado pela Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense (Deatec), em Chapecó.

O reitor da Unochapecó expôs os projetos da universidade com foco na inovação, como a Incubadora Tecnológica e o Parque Científico e Tecnológico Chapecó. "A economia de Chapecó se transformará a partir do parque. Aliado a isso, a universidade está passando por uma renovação para se aproximar cada vez mais do setor produtivo. Porém, o Oeste ainda precisa de mais espaço. Dos 81 doutorados que temos no Estado, apenas dois são em Chapecó. Precisamos reduzir essa dicotomia entre as regiões. Para isso, a tríplice hélice é fundamental", salientou.

Ricardo de Marco enfatizou que o desenvolvimento se origina da capacidade empreendedora da região e isso demanda das universidades um grande esforço para formação de profissionais qualificados. "Temos que ter um olhar crítico para preparar pessoas capacitadas para atender o mercado atual e futuro".

A política municipal de incentivo à inovação com a criação do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação e da Gerência de Tecnologia e Inovação foram destacados por Marcio Sander. "Chapecó é um polo tecnológico reconhecido e, com sinergia entre o poder público, universidades e iniciativa privada pode se desenvolver ainda mais". Sander também citou a doação de um terreno para a Deatec onde será construído o Condomínio Tecnológico.

Jean Carlo Vogel realçou os programas do Governo do Estado dos centros de inovação e o Geração Tec que será lançado neste ano. Os centros de inovação tem a finalidade de promover o empreendedorismo, estimulando a criação de negócios de alto valor agregado, fortalecendo a atração de investimentos e unindo o poder público, o setor privado e as instituições de ensino. Vogel também ressaltou o Pacto pela Inovação, assinado na semana passada por 29 entidades. "Essas instituições aceitaram o desafio de propor ações que possam ser realizadas em 12 meses. Foram apresentadas quase cem ações que iremos colocar em prática a partir de um plano de ação que será traçado nas próximas reuniões".

O presidente da Deatec, André Telöcken, salientou que a entidade foi criada em 2005 e possui, atualmente, mais de 100 associados. Reúne empresas do setor de base tecnológica para fortalecer o segmento, gerando incremento no trabalho, renda, qualificação e inovação. 

0
0
0
s2smodern
powered by social2s