A forma para nos inserir, pelo comércio, no espaço globalizado implica reunir as vantagens competitivas decorrentes da localização, economia em escala mundial, distribuição global da marca, construir uma presença global, defender o domínio nacional e superar, aos poucos, país a país.

Quem assiste ao webinar  ”As fronteiras do Agro e o impacto dos investimentos em infraestrutura no Arco Norte” tem a sensação de fazer uma viagem fantástica ao futuro. Essa jornada virtual tem como epílogo o surgimento do Brasil da Era Novo Normal. Muito além de ser uma jaboticaba e ser maior do que um governo, é uma nova visão de que logística não é apenas solução. Ela é principalmente impulsionadora do progresso, como prega didaticamente Frederico Bussinger.

Dad 25JUN2020

Editor 
Desenvolvimento como meta para vencer as crises

Essa percepção começa na abordagem do Matopiba, uma região administrativa definida por Decreto Federal, envolvendo 337 municípios e 31 microregiões equipotenciais agregando os quadros: natureza, agrário (estrutura fundiária), agrícola (produção) e socioeconômico. Trata-se do acrônimo de uma área formada pelas iniciais dos estados que a constituem: Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. E cuja logística agropecuária escoou na atual safra 23 milhões de toneladas de grãos e tem projeção de crescimento de 3% a 4% para a próxima.

Artigo | Luiz Carlos Corrêa Carvalho 
Propulsor de inovações para o agronegócio brasileiro

O que se assiste é a inovação do papel histórico da agricultura na superação da crise econômica e social do País. Sem conflito entre o binômio produzir e preservar, envolvendo R$ 406 bilhões de patrimônio fundiário mobilizado. Além de tudo, com competência nacional para realizar um projeto agigantado, integrado estrategicamente à logística do Arco Norte. Uma hinterlândia que compreende portos ou estações de transbordo nos estados de Rondônia, Amazonas, Pará, Amapá, Maranhão, Sergipe e Bahia e abrange 15 milhões de hectares adicionais na produção de grãos.

Editorial 
Arco Norte: uma outra saída do Brasil

O Terminal Portuário de Alcântara é uma demonstração numérica e estratégica desse Novo Brasil. Porto com 25 metros de profundidade natural, para receber navios graneleiros com porte de 450 mil toneladas para minério e 250 mil toneladas para grãos. Números recordes no comércio internacional brasileiro. É um processo inovador de produzir e escoar com competitividade em um mercado mundial em expansão, utilizando uma logística multimodal integrada. Incluindo a incorporação social de grupos quilombolas. Na superação de paradigmas.

Blog | Bruno Merlin 
Ferrogrão e ligação com Arco Norte são metas mais ambiciosas, diz ministro em conversa com Bial

O vice-presidente Hamilton Mourão quando anunciou, há um mês, que o governo federal vai recriar o Comitê Orientador do Fundo Amazônia (Cofa), arrematou a proposta para a produtividade do Arco Norte, que envolve um processo inovador de produção-produtos e preservação da Amazônia. Na construção de um cenário onde o Brasil seja o celeiro do mundo com inovação.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website

O que você achou? Comente