O Conselho Nacional de Praticagem (Conapra) renovou, na terça-feira (7/11), o convênio com o laboratório Tanque de Provas Numérico da USP, reconhecido internacionalmente no estudo dos sistemas marítimo e offshore. A assinatura ocorreu na universidade, durante o seminário “Técnicas modernas de projeto de acessos náuticos com base na norma ABNT NBR 13246:2017”. A nova norma reforça justamente a necessidade de integração da academia com a prática da navegação no desenvolvimento de projetos.

Por meio do convênio, estudos técnicos de novas operações, como dragagens e terminais, são realizados com o compartilhamento da experiência dos práticos, que estão na linha de frente das manobras de navios em águas restritas. Essa integração passou a ser preconizada na ABNT NBR 13246:2017 – uma revisão da norma de 1995 com o intuito de que todo estudo de obras náuticas seja feito com embasamento técnico mais sólido, análise de riscos e participação de práticos e especialistas das condições locais. O objetivo é que os projetos atinjam mais qualidade e segurança à navegação, além de melhor uso de recursos durante a execução.

O Conapra participou da revisão do documento desde o início com diversas organizações, entre elas a Autoridade Marítima. "A revisão vai trazer muitas respostas positivas a nossos projetos, canais e bacias de evolução. Hoje, temos uma nova norma, revisada e baseada nas melhores referências internacionais. O trabalho coordenado que ela trouxe da parte técnica e prática da navegação é fundamental. É importante que participemos dos estudos, das simulações e da análise de resultados. Não adianta apenas o engenheiro ver, porque ele não manobra navio", explicou o diretor-presidente do Conapra, o prático Gustavo Martins, que defende a aplicação das diretrizes inclusive a projetos anteriores.

praticagem usp

O professor Eduardo Tannuri, coordenador do centro de simulações do laboratório, disse que a norma reuniu conhecimento do mundo inteiro e trouxe à realidade brasileira. "Sem dúvida, a maior vitória dessa atualização é a integração no desenvolvimento dos projetos, com todos os atores envolvidos".

Participaram também da mesa de abertura do evento o comandante Attila Coury, da Diretoria de Portos e Costas da Marinha, o professor Lucas Antonio Moscato e a professora Liedi Légi Bernucci, vice-diretora da Escola Politécnica da USP.

As informações são da DOM Comunicação.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s