Diante da eminência da abertura das consultas públicas sobre a desestatização do Porto de Santos ocorrerem até meados de novembro, cresce a expectativa de viabilização da ligação seca entre as duas margens do Porto de Santos, já que o governo federal anunciou que incluirá a construção do túnel no processo de privatização da gestão portuária. Para reforçar a luta, na quarta-feira (29) representantes da União dos Vereadores da Baixada Santista (Uvebs) entregarão ao Ministério da Infraestrutura uma moção de apoio assinada pelas câmaras municipais da Baixada Santista e mais de 12 mil assinaturas da petição online em defesa do túnel.

Túnel Marcia Costa 29SET2021

Participam do encontro em Brasília o secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (SNPTA/MInfra), Diogo Piloni, o diretor do Departamento de Novas Outorgas e Políticas Regulatórias Portuárias da SNPTA/MInfra, Fábio Lavor, a secretária de Fomento, Planejamento e Parcerias do MINFRA Natália Marcassa de Souza, e a deputada federal Rosana Valle (PSB/SP), além de Eduardo Lustoza, porta-voz da campanha Vou de Túnel.

Dos representantes da Uvebs participam os vereadores que representam as nove cidades da Baixada Santista, além de Roberto Andrade Silva (MDB), vereador de Praia Grande e presidente da União dos Vereadores da Baixada Santista (UVebs), que realizou uma articulação na região em defesa do projeto do túnel.

A deputada federal Rosana Valle (PSB), por sua vez, tem atuado como uma interlocutora da proposta do túnel junto ao governo federal. Durante o evento Porto & Mar promovido pelo grupo A Tribuna recentemente, ela citou que a sua participação elevou o nível do debate da ligação seca, com a realização de audiência sobre o tema em Brasília. A parlamentar enfatizou que apoia a construção do túnel, pois a obra não impactará a expansão do Porto.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que a ligação seca entre as duas margens do Porto é uma discussão importante dentro da desestatização e que a concessionária que assumir a administração do Porto de Santos terá capacidade financeira para a sustentação do projeto do túnel. A declaração ocorreu durante o evento Porto & Mar.

Em sua fala, o ministro Tarcísio de Freitas reforçou que a desestatização vai possibilitar investimentos no canal de acesso, com possibilidade de a dragagem atingir 17m de profundidade. Já no ano passado o MInfra firmou o compromisso de que faria a inserção do túnel no projeto de desestatização.

Com a abertura das audiências públicas para o debate da desestatização, a população deverá ser convocada para discutir sobre o túnel. “A sociedade vai participar para definir o melhor arranjo contratual para fazer a ligação seca. Mas o mais importante é que a capacidade financeira vai possibilitar a realização da obra”, disse o ministro.
Tão importante quanto garantir a realização da ligação seca, um direito de todos, é garantir que ela vai atender ao Porto e à cidade igualmente, gerando desenvolvimento sustentável e qualidade de vida para todos que vivem numa região concentradora de grandes recursos, resultado das atividades do maior porto da América do Sul.

Marcia editada* Jornalista, fotógrafa, pesquisadora, docente, pós-doutora em Comunicação e Cultura e diretora da Cais das Letras Comunicação. Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente