Se você fica perdida com os termos da moda e não sabe a diferença entre flare e pantacourt, confira este conteúdo e tire as suas dúvidas.

A modelagem é uma parte fundamental do processo de criação de uma roupa. Por meio dela, é possível obter uma grande variedade de peças. Você já deve ter observado que existem diversos tipos de calça: pantalona, flare, skinny, pantacourt e outras, em que o caimento é totalmente diferente.

O armário feminino costuma ser variado, proporcionando muitas possibilidades de combinação. No entanto, nem sempre é fácil acompanhar todas essas nomenclaturas, pois, com o tempo, mais nomes surgem.

Por isso, criamos um glossário para explicar os principais termos em alta. Assim, você conseguirá entender quando uma amiga ou um vendedor se referir a uma peça específica.

Flare

A calça flare é similar à boca de sino, ou seja, ela é justa até a altura do joelho e, depois, fica mais larga, em formato de sino. Entretanto, a grande diferença é o tamanho do diâmetro da parte larga da calça: o modelo flare tem uma abertura menor se comparada à boca de sino tradicional.

A calça flare é muito versátil e funciona em diferentes ambientes. Para um compromisso formal, opte por uma peça com tecido fino e combine-a com salto. Já as calças jeans com essa modelagem podem ser usadas em compromissos casuais ou informais — a escolha do calçado é fundamental para passar a impressão correta.

Bomber

A jaqueta bomber é uma das queridinhas do momento. Ela tem uma pegada mais informal, e existem modelos para todos os gostos. As peças estampadas ganharam destaque, principalmente, as florais, compondo looks estilosos e descontraídos.

A bomber pode ser combinada com muitas peças: desde saias com modelagem complexa até calças leggings. Uma boa ideia é criar um equilíbrio: se as outras peças forem lisas, use uma bomber estampada, por exemplo.

Cropped

O cropped entrou no guarda-roupa da brasileira a algumas temporadas e não saiu mais. Este modelo de blusa é mais curto, mostrando a barriga. Existem peças justas ao corpo e outras larguinhas. O cropped é bastante prático e, em geral, é uma peça usada em compromissos casuais e informais.

Ele pode ser usado de diversas formas. Uma combinação que faz bastante sucesso é: cropped e saia de cintura alta. Dependendo do seu estilo, ainda é possível acrescentar uma jaqueta jeans e um tênis. Ele também funciona com calças de cintura alta, criando composições chiques e, ao mesmo tempo, descoladas.

Jogger

A calça jogger é ideal para quem quer aliar conforto e estilo. Este modelo é larguinho e fica mais justo na altura da panturrilha. Hoje, a maior parte das peças é feita de tecidos leves ou moletons, proporcionando boa mobilidade e conforto, sendo ideal para a prática de algumas atividades físicas.

As peças com tecido mais fino ou no estilo de couro podem ser usadas em compromissos casuais, quando combinadas com sandálias. Já os modelos informais podem ser usados com tênis e cropped, por exemplo.

Body

O body é uma peça que voltou para o armário feminino nos últimos tempos. Ele tem uma modelagem similar a um maiô ou collant. Entretanto, apesar de existirem modelos esportivos, o body é usado em diversas ocasiões.

Um modelo que tem feito bastante sucesso é o de renda. Ele pode ser usado com calças e saias de cintura alta. Uma combinação fashionista seria: calça skinny, body de renda e blazer máxi. Outra possibilidade é usá-lo com saia curta de cintura alta, jaqueta jeans e tênis.

Pantacourt

Como o próprio nome diz, a pantacourt é uma calça pantalona curta e, em geral, o comprimento atinge o meio da panturrilha. Essa peça é bastante versátil e vai do ambiente de trabalho até o barzinho no final de semana.

A pantacourt pode ser usada com praticamente todas as peças: camisas, croppeds, regatas, tênis, sandálias e mules. A melhor forma de acrescentá-la ao seu guarda-roupa é analisando o próprio estilo e escolhendo itens que você já possui para testar as combinações.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente