A Ordem dos Policiais do Brasil (OPB), no dia 6 de abril último, protocolou junto à Secretaria de Portos (SEP), ofício em apoio à Guarda Portuária. No documento, a entidade critica as administrações portuárias que, segundo eles, "vêm minando as atividades da categoria ao longo dos anos e, em alguns portos tenta até, ilegalmente, terceirizar as suas atividades".

Ao final do documento, a OPB fala ainda da importância da Guarda Portuária para o cenário da Segurança Pública nacional, citando a prerrogativa da Autoridade Portuária no exercício do seu poder de polícia e pedindo respeito às atividades da GPort, às suas atribuições e às leis em vigor no País.

De fato, a terceirização de uma atividade tão fundamental ao funcionamento das operações portuárias não é um caminho adequado; melhor seria valorizar a corporação com melhores condições de trabalho. Passar a atividade para terceiros, vemos isso em fartos exemplos no território nacional, tem significado perda de qualidade, precarização do trabalho e "lucro" fácil para quem tem se mostrado não ser um bom empregador. Fica a dica #terceirizaçãonão!

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s