Para atrair novos adeptos, escritórios compartilhados investem em mais facilidades, networkings e flexibilidades, como o funcionamento 24h

Os coworkings têm sido cada vez mais procurados por profissionais de diversas áreas, conquistando progressivamente espaço no mercado. Segundo um estudo realizado pela Coworking Brasil, em 2018, o modelo de negócio no país movimentava cerca de R$ 127 milhões. Em 2019, o Censo Coworking Brasil, revelou que o crescimento do mercado de escritórios compartilhados cresceu 25% no último ano, chegando a 195 municípios e somando 1.497 unidades em todo o país. Apenas no estado de São Paulo, foram registrados 198 novos espaços.

Coworking Grow SpaceEspaços compartilhados conseguem crescimento de cerca de 30% no País. Crédito: Divulgação.

Em termos de estrutura, cada local oferece uma condição. Dentre as vantagens mais disponibilizadas pelos coworkings estão as salas de reunião, endereço comercial, serviço de impressão e café grátis - todos esses benefícios são viabilizados por mais de 90% dos escritórios compartilhados.

Um diferencial nesse modelo de negócio é o acesso 24 horas, que apenas 20% dos coworkings no Brasil oferecem como opção para os clientes. Esse fator distintivo tem sido muito procurado pelos coworkers devido a conveniência proporcionada. De olho na demanda, a Grow Space Coworking investiu nesse público que busca um espaço para trabalhar em horários alternativos.

"Aliado às novas tecnologias, surgem também novos modelos de negócios e métodos de trabalho. Profissionais de diferentes áreas já não sentem mais a necessidade de atuar necessariamente dentro de um horário comercial padrão. E muitos são os fatores que contribuíram para essa transformação como, por exemplo, fugir do trânsito e do transporte lotado em cidades muito movimentadas", explica a founder da Grow Space, Thábata Mondoni.

Segundo ela, muitos clientes optam por escritórios compartilhados 24 horas, pois eles permitem maior liberdade para organizar a agenda de acordo com as necessidades e disponibilidade de horário. "Há ainda pessoas que produzem melhor no período da noite, ou aqueles que estão investindo em um negócio paralelo e querem um lugar para trabalhar fora do período comercial".

A jornalista Natália Costa é um desses usuários que escolheram espaços 24 horas para conseguir esticar o trabalho até mais tarde: "Nesse período o ambiente fica mais tranquilo e me proporciona mais concentração para escrever e desenvolver meus projetos com mais eficiência."

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s