A produção industrial brasileira cresceu em outubro em praticamente todas as 14 regiões pesquisadas pelo IBGE na comparação com o mesmo mês de 2005. A exceção foi o Amazonas, onde houve queda de 8%, devido à redução na produção de telefones celulares, rádios e outros produtos eletrônicos e de comunicações.

Nessa comparação, cresceram acima da média nacional (4,8%) as seguintes regiões: Ceará (12,4%), Pernambuco (11,2%), Pará (9,7%), Espírito Santo (9,1%), região Nordeste (6%), São Paulo (5,9%) e Goiás (5,6%).

Segundo o IBGE, o crescimento está sendo puxado pelas regiões exportadoras. No acumulado do ano, houve alta em 12 locais. Acima dos 2,9% da média nacional, situaram-se Pará (14,6%), Ceará (8,8%), Espírito Santo (7,0%), Pernambuco (5,3%), Minas Gerais (4,1%), Bahia (4,0%), região Nordeste (3,9%) e São Paulo (3,7%).

“Observa-se que os locais que registraram as maiores expansões até outubro foram influenciados pela manutenção do dinamismo dos produtos tipicamente de exportação, particularmente as commodities (minérios de ferro, açúcar, celulose e produtos siderúrgicos), além de outros com forte presença da fabricação de automóveis e de computadores”, diz o IBGE.

São Paulo
Em outubro, a produção industrial de São Paulo ajustada sazonalmente avançou 1,5% frente a setembro, após recuar 1,7% no mês anterior. Nos confrontos com o ano de 2005, os resultados também foram positivos: 5,9% na comparação com outubro do ano passado e 3,7% no indicador acumulado no ano.

Na comparação anual, os maiores impactos positivos vieram de Veículos Automotores (6,6%), em função principalmente do incremento na produção de automóveis; Máquinas para Escritório e Equipamentos de Informática (42,7%), por conta da maior fabricação de computadores; e de Alimentos (4,5%), devido ao açúcar cristal.

Fonte: G1 - Notícia atualizada às 10h do dia 11/12/06

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
O que você achou? Comente