O coordenador do novo projeto de transporte de minério da MRS transportes e logística, Petrônio Foscarini nos concedeu entrevista explicando como será implantado e realizado esse novo meio de transporte.

 

Portogente Existe a possibilidade da concessionária ferroviária MRS concretizar um antigo sonho de Paulo Peltier, ex-presidente da CODESP no governo Collor, de implantar um teleférico na Serra do Mar?

Petrônio Foscarini- Lamento que nossa proposta não seja exatamente aquela preconizada pelo Paulo Peltier porém, não temos nenhuma dúvida que sua implementação trará os mesmos benefícios sonhados, com maior confiabilidade, segurança e menores riscos ambientais e que colaborará de forma decisiva para a redução do chamado Custo Brasil.

 

Portogente – A MRS sabia desse projeto idealizado por Paulo Peltier?

Petrônio Foscarini - A MRS soube da existência de uma proposta de solução para este tipo de transporte, no início dos estudos, em 1998, chegamos a discutir este tipo de solução, que acabou sendo logo abandonada, devido ao fracasso de uma proposta semelhante que foi implantada entre a mina de minério de ferro, da Mutuca e o terminal de Olhos D' Água, ao sul de Belo Horizonte. O sistema teve baixa confiabilidade  e disponibilidade, resultante de inúmeras avarias e alguns acidentes. Tal sistema acabou sendo desmontado e substituído por um transportador de correia de longa distância- TCLD. Da concessão da MRS, entre Paranapiacaba e Piassagüera consta, além do trecho de cremalheira que está em uso, um outro sistema chamado

Funicular, que foi inaugurado em 1901 e que se encontra totalmente abandonado desde 1988 e passando por acelerado processo de deterioração, já tendo ruído um dos viadutos próximos a Piassagüera.

 

Portogente – Tem como ser recuperado esse sistema?

Petrônio Foscarini - Sua recuperação é impraticável tanto em termos de custo, para um possível aproveitamento turístico, quanto pela reduzida capacidade no transporte de cargas. Porém, este sistema possui uma infraestutura bastante consolidada e estável, a qual, uma vez recuperados os viadutos metálicos, permitiria a construção de um sistema de correias transportadoras, tipo TCLD, que viabilizaria o pleno atendimento a Cosipa.

 

Portogente - Qual seria a capacidade desse TCLD?

Petrônio Foscarini - A capacidade deste TCLD seria de 20.000 toneladas por dia.

 

Portogente - Quanto seria aproximadamente o valor do investimento?

Petrônio Foscarini - O valor do investimento, ainda em fase de concorrência deverá superar os U$ 50 milhões.

 

Portogente - Quanto tempo levaria para ficar pronto?

Petrônio Foscarini - Seu tempo de projeto, fornecimento e implantação deverá ser de 20 meses, após a obtenção das licenças ambientais.

 

Portogente - Quanto de carga iria ser liberado da linha férrea com o TCLD funcionando?

Petrônio Foscarini - A construção do TCLD liberaria uma carga de exportação de cerca de 6 milhões de toneladas por ano.

 

Portogente - Qual o percentual de uso da linha férrea que traz essa carga?

Petrônio Foscarini - Esta carga, minério de ferro, ocupa hoje 70% da capacidade de exportação do Sistema de Cremalheira.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
O que você achou? Comente